sábado, 4 de abril de 2009

Canal de TV faz campanha contra ambientalismo



Nossos canais de televisão nunca foram totalmente imparciais em suas coberturas jornalísticas. Eu sempre preferi me informar mais pela mídia impressa do que pela televisiva, quase sempre sensacionalista e, muitas vezes, tendenciosa, até pelo nível de cobertura que atingem na população em geral. Esta grande influência da televisão às vezes é até positiva, em alguns casos, mas muitas vezes serve mais à manipulação da grande massa, e temos inúmeros exemplos disso ao longo dos nossos mais de 50 anos de televisão no Brasil.

Destes canais, um dos que eu considerava que tinha um jornalismo um pouco mais independente era a TV Bandeirantes, principalmente frente ao jornalismo "chapa branca" da líder TV Globo (até por esta ser, em geral, sempre aliada dos governos em exercício, sejam eles quaise forem, com raras exceções). Mas o pouco de admiração que eu tinha pela Band está caindo por terra.

Tenho acompanhado neste canal uma crescente campanha contra o ambientalismo no Brasil. Primeiro por matérias tendenciosas em seus jornais, como a que pede mudanças no Código Florestal Brasileiro, para que este seja mais permissivo aos agricultores (como se até hoje não se tivesse desmatado nada - já perdemos quase todos os nossos grandes biomas e agora o Amazônico é a ultima fronteira que está sendo pilhada sistematicamente).

O maior flagrante desta campanha "anti-ambientalista" é a repetição sistemática, durante a programação, de trechos de uma destas reportagens, mostrando produtores rurais mineiros que foram presos por crimes ambientais (talvez um caso isolado, pois raramente prende-se por este tipo de crime no Brasil). Não vou nem discutir a medida tomada pelas autoridades mineiras, talvez houvessem meios menos radicais de punir os agricultores, através de recomposição de matas, educação ambiental, etc. O problema é o tom dramático que a Bandeirantes imprime a esta verdadeira propaganda anti-ambientalista, com orquestração de fundo e dando a entender que somente os produtores rurais teriam razão, não indo a fundo na questão ambiental. E terminam a campanha com o slogan : "Se o código florestal não mudar, o Brasil vai parar".

Complementa-se a campanha com amplas matérias mostrando a precariedade das estradas que cortam o norte do Mato Grosso, atrapalhando o transporte da soja. Bem, para começar, estas estradas nem deveriam estar lá, pois aumentam a pressão sobre a Floresta Amazônica e o estado do Amazonas (o mais preservado por enquanto) será a próxima vítima. Mas isto nem é cogitado. O jornalismo da Bandeirantes parece trabalhar apenas em nome do "desenvolvimentismo", modelo este que já se viu falido, com muitos exemplos na Grande São Paulo e Baixada Santista, por exemplo, regiões que acabaram com seus rios e florestas em nome de um desenvolvimento industrial a qualquer custo, deixando um passivo de terras e águas tão poluídas que talvez nem em 100 anos consigam ser limpas. Hoje as enchentes e a poluição atmosférica são apenas a ponta do iceberg no que resultou este "desenvolvimentimo". Desenvolvimentismo que acabou com as florestas de araucárias no Paraná, em menos de 50 anos de exploração intensiva, alterando sensivelmente o clima, acabando com a biodiversidade e hoje deixando milhares de agricultores sem água, principalmente no oeste do estado. Os mesmos que desmataram são os que reclamam do "clima" hoje. Ninguém conta os serviços ambientais gratuitos que as florestas trazem! E, finalmente, o exemplo mais visível de todos, a tragédia das enchentes e desabamentos em massa em Santa Catarina, causadas pela combinação das mudanças climáticas mundiais com o desmatamento local, que acabou com a capacidade do solo de absorver a água e com as florestas de protegerem as encostas. E ainda por cima vêm os parlamentares catarinenses e aprovam, na semana que passou, uma lei para diminuir as reservas legais! Tudo na contra-mão, e esta lei vai de encontro com o que a TV Bandeirantes prega: diminuir as reservas legais em todo o País! Isso para, supostamente, "beneficiar" o agricultor! Ao contrário do que estes irresponsáveis jornalistas pregam, esta diminuição vai deixar a lavoura com menos água e com terra de pior qualidade. No estado de São Paulo alguns agricultores que recompõe a mata em suas propriedades já colhem os ganhos de produção. Não é preciso plantar em toda a área, mas se deixar eles plantam até dentro dos rios! A solução passaria por educação ambiental, programas de qualificação de propriedades para a agricultura orgânica e ecológico, mas nisso ninguém fala na televisão!

A campanha da Bandeirantes culminou na entrevista do ministro da agricultura, Reinhold Stephanes, no programa Canal Livre do dia 01/03/09. Era notória a tonalidade tendenciosa dos entrevistadores, jornalistas de grande credibilidade como Joelmir Beting, Fernando Mitre e Antonio Teles. Direcionavam as perguntas enfatizando o "absurdo das reservas legais" e a "perseguição aos agricultores", "tornando-os bandidos"; frases proferidas até de forma violenta, para incentivar, ainda mais, o ministro membro das elites agrárias que devastaram o Paraná, a apoiar ainda mais as iniciativas de liberalização do desmatamento! E nos intervalos comerciais (em todos), dá-lhe a mesma reportagem sobre os agricultores mineiros! Lavagem cerebral no telespectador é apelido! Na semana seguinte, no dia 08/03/09, o mesmo programa fez um "mea culpa", chamando o midiático ministro do meio-ambiente, Carlos Minc, mas mesmo assim fazendo alguns "flash-backs" com imagens do ministro da agricultura no programa anterior. O ministro Minc, como sempre saindo pela tangente, conseguiu driblar as perguntas tendenciosas dos entrevistadores, não apresentando (como sempre) soluções definitivas, mas defendendo ao menos a preservação da Amazônia. E o próprio Minc se comprometeu a não endurecer mais o código florestal...

De fato não deveríamos "endurecer" o código, mas simplesmente aplicá-lo, aliado a um bom programa de requalificação de propriedades, até para que os agricultores gerem renda a partir da floresta e ganhem pela preservação. Mas não se fala nisso. Aí é minha opinião, de que nem o governo está certo na aplicação da lei, porque ela está sendo aplicada de forma errada e em muitos casos nem aplicada. E também não estão certos os que combatem esta lei, porque ela está aí é para preservar o pouco que resta de nossa natureza, de forma que nós mesmos, habitantes da nave Terra, sobrevivamos!! Os ambientalistas, em sua maioria, não são sonhadores nem radicais: são apenas realistas e baseiam-se em estudos científicos. O desenvolvimentismo dos anos 60/70 não pode voltar, mas o (des)governo atual tem uma forte tendência para voltar a este modelo, via PAC e outros planos eleitoreiros. O meio-ambiente está em segundo plano. Mas ninguém percebe que ele permeia tudo!

No momento atual temos que tomar cuidado com estas tentativas de retrocesso, como a que presenciamos em Santa Catarina e espalha-se por todo o Brasil. Pode ser nossa última chance de mudarmos para um modelo que a todos beneficia! Mas os que sempre produziram de forma predatória, não querem largar seus costumes, não querem "largar o osso". Mas é questão crucial até para ELES sobreviverem!

Voltando à TV Bandeirantes, não vou nem questionar quem pode estar financiando esta campanha contra o ambientalismo. Não é muito difícil concluir, visto o grupo ter um canal voltado ao meio rural, o "Terra Viva". Mas aí são suposições. De qualquer forma este respeitado grupo de mídia trabalha contra os brasileiros, pois o afrouxamento das leis ambientais condenará todos nós à morte..



Caros amigos,
Gostaria de divulgar a vocês que o conteúdo deste blog foi publicado no livro "REFLEXÕES ECOLÓGICAS EM UM MUNDO INSUSTENTÁVEL", conforme foto acima

Os textos foram todos REVISADOS, AMPLIADOS e ainda inserimos TEXTOS INÉDITOS na publicação!

O livro está disponível para compra no site CLUBE DE AUTORES.

Os leitores que quiserem guardar este conteúdo em sua biblioteca ou mesmo dá-lo de presente a amigos, eu ficarei bastante honrado!

A luta do TREES FOREVER por um mundo mais sustentável e por governos mais sérios e atuantes na área ambiental vocês já conhecem. Esta luta é de todos nós e eu agradeço muito por estes quase dois anos de convivência aqui neste ambiente virtual!

Se possível, por favor ajudem-nos a divulgar este livro, enviando o site abaixo a seus amigos, conhecidos, colegas de trabalho, familiares, etc.:

http://clubedeautores.com.br/book/9850--REFLEXOES_ECOLOGICAS

Um forte abraço a todos e muito obrigado!!

Gabriel Bertran


9 comentários:

Amigos da Rua Gonçalo disse...

Estou pasmo!
Depois de assistir ao final da entrevista com o governador Arruda, do DF, entrou um comercial "institucional" da Band CONTRA as leis ambientais!
A mídia é toda igual...
Mas não podemos calar.
Ação já contra essa essa gente ganaciosa que quer alterar nossas leis ambientais, especialmente a 4771 (Código Florestal).

Fusca disse...

Bem observado, Gabriel. O desmatamento sistemático do Brasil é outra marca do desgoverno "como nunca antes neste país". Os primeiros 4 anos de Lulla representaram o quadriênio de maior desmatamento da história do país (que já tem muito menos áreas para desmatar do que nos governos anteriores). Fruto da conivência, inépcia e dos interesses próprios do regime lulopetista que se instalou em nosso sofrido país, a começar pelos rumores de fazendas novas de certos empresários-relâmpagos do Planalto e seus consultores, sócios ou aliados manjados na linha Dantas/ Nahas)...

GABRIEL BERTRAN disse...

Com toda a certeza,Fusca, no (des)governo lulla o meio-ambiente brasileiro perdeu,e muito.Havia uma esperança com a Marina Silva,que foi execrada pelo (des)governo e agora este ministro midiático Minc é mais decorativo,serve mais para o marketing do que para defender a natureza, pois o mesmo está se curvando para ruralistas, sem-terra, corruPTos e todos os setores interessados na destruição de nossas florestas!

Ah,e complementando a matéria acima,ontem no Jornal da Band eles relembraram a entrevista deste domingo (05/04/09),que foi com o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. O estranho é que o ÚNICO trecho da entrevista que eles reprisaram na segunda-feira foi quando ele diz que o programa habitacional do governo lulla não irá para frente se não mudarem as leis ambientais!! Com tantos assuntos, como educação e segurança, que foram discutidos domingo,só enfatizaram esta frase. E ela deu o "gancho" para, logo em seguida, o Joelmir Betting fazer o "editorial" do dia, comentando que as leis ambientais brasileiras estão atrasando todos os setores do Brasil, etc. etc.
Estranhamente o início do jornal foi uma imensa reportagem sobre uma operação anti drogas da Polícia do Distrito Federal. Realmente excelente, merecedora de elogios e extremamente necessária esta operação. Mas será que não tem a ver com o fato do governador deste Distrito ter dito exatamente o que eles queriam?? Fica a pergunta...

GABRIEL BERTRAN disse...

Assistindo hoje ao "Jornal da Band" percebi mais um imenso exemplo de incoerência por parte do jornalismo desta emissora. Vejam só a ordem das notícias "ambientais" no decorrer do jornal:
1) Mostra a seca que o Oeste do estado de Santa Catarina enfrente,a pior dos últimos tempos,com produtores perdendo safras,animais morrendo,etc. (detalhe,nada falam à respeito da região ter sido uma das mais desmatadas dos últimos tempos);
2) Mostra a enchente que o estado do Acre, no norte do país, enfrente (e não relaciona isso com o desflorestamento,que diminui áreas de infiltração de água por toda parte,gerando sua acumulação);
3) Mostra o (des)presidente lulla,em evento na fábrica da Klabin em Telêmaco Borba(PR) afirmando que as LEIS AMBIENTAIS (elas de novo!)atrasam o desenvolvimento "deççe paíz"(sendo que somente este trecho de mais um comício improdutivo do lulla foi mostrado);
4) Mostra reportagem afirmando que o ministro do Meio Ambiente,Carlos Minc,ira autuar o estado de Santa Catarina devido à lei que diminui as reservas permanentes de mata ciliar nas propriedades rurais do estado,com EDITORIAL do Joelmir Beting APOIANDO esta lei absurda!
Agora COMENTANDO: Por quê este jornal extremamente tendencioso não relaciona o desmatamento,principalmente de matas ciliares,às secas no Oeste Catarinense?Isso numa área que sempre foi fértil e bastante produtiva!Ah,sim,como se uma coisa nada tivesse a ver com a outra...
A TV Bandeirantes acha que nós somos burros,só pode ser isto!!

Maicon disse...

muito bem.
mas, tendencioso mesmo é a globo:
hj cedo o apresentador do globo eco!!logia disse:'entao, quer dizer q cada vez q como carne aki no RJ eu contribuo para o desmatamento da amazonia?"
como se toda a carne do mundo viesse daqui, e o arroz e o feijao nao fossem plantados na terra, onde antes tinha arvores.
tenho uma proposta para vcs do sudeste:
"comprem um carro, paguem os impostos, mas usem esse carro somente 6(SEIS!!!) dias por mes, ou seja 20% e preserve os outros 80%."

GABRIEL BERTRAN disse...

Caro Maicon,
Obrigado por seu comentário.
O raciocínio de grande parte das pessoas é que está errado: não é assim que "se não cortarmos mais árvores, ninguém mais irá comer arroz e feijão"!!O Brasil já produz mais alimentos do que consegue consumir,portanto não precisaríamos desmatar mais nada para a agricultura.Além do que,o desmatamento excessivo já causa grave seca no Sul do Brasil,seca esta sem solução,em terras que já foram férteis!Do que adiantou abrir TUDO para a agricultura??
Portanto,precisamos da floresta em pe´ sim, e por QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA!
O exemplo que você deu do carro,voluntariamente eu já sigo:uso meu carro menos de seguramente 20% do tempo da semana! Na maior parte dos deslocamentos priorizo ir a pé ou de ônibus,apenas em último caso tiro o carro da garagem.Portanto quem têm terras deveria preservar o máximo possível voluntariamente!Se tivéssemos consciência,não precisaríamos de leis rígidas!Claro,seria ótimo se o agricultor fosse,ainda,gratificado,pagando-se pelos serviços ambientais de sua floresta.Isso algumas empresas fazem (voluntariamente) e o governo deveria assumir também.Mas enquanto isso não vem,precisamos de cidadãos conscientes! As próximas gerações agradecerão!

Fusca disse...

Amigo Gabriel,
volto ao seu blog para agradecer sua adesão ao blog FuscaBrasil e pedir reforço de um assunto que o desgoverno E a oposição estão acobertando: o projeto de lei de lulla para aumentar o percentual de desmatamento permitido e para 'legalizar' os desmatamentos ocorridos até 2004. Esse projeto de lei do desgoveno lulla já foi aprovado semana retrasada na câmara dos dePUTADOS e está indo para o senado. Não postei ainda porque preciso pesquisar mais os dados e a situação dessa lei, mas seria necessário abrir petição contra a lei, enquete, abaixo-assinado, etc.

GABRIEL BERTRAN disse...

Caro Fusca,
Também li sobre esta aprovação absurda no congresso,que praticamente dá (de mão beijada) as terras Amazônicas aos grileiros, facilitando ainda mais a destruição!É um absurdo,porque na certeza de que terão seu "negócio" legalizado,os criminosos se sentirão mais à vontade ainda para pilhar a floresta! Este (des)presidente lulla realmente está cada vez mais na contra-mão do desenvolvimento sustentável.
Vamos elaborar este abaixo-assinado,mantenha-me informado. Esperamos a colaboração de outros leitores daqui também!
Um abraço!
GABRIEL

GABRIEL BERTRAN disse...

Vejam amigos neste site abaixo (EcoAgência Solidária) houve uma menção a este assunto e a este blog.
Não deixem de ler, gostei muito da abordagem da Agência, que percebeu bem a incitação à desobediência civil que este canal de TV promove. Isso é irresponsabilidade. No país da impunidade, uma campanha de respeito à legislação seria muito, mas muito bem vinda!
Leiam mais no link:

http://www.ecoagencia.com.br/?open=artigo&id===AUVVEeWtWOHNlRaVXTWJVU