domingo, 17 de fevereiro de 2008

AJUDA ESTRANGEIRA : SIM OU NÃO?

Muitos consideram este assunto como um tanto delicado. Alguns evitam até mesmo tocar nele. E ao tocarmos neste assunto já nos vêm à mente aqueles comentários como "A Amazônia é nossa", alimentados por boatos de que os Estados Unidos e outras potências possuem planos de internacionalizá-la, que as ONGs estão cheias de agentes infiltrados em meio à selva, que em algumas tribos os indígenas só falam inglês e mais um monte de "lendas urbanas" (ou seriam "lendas selvagens") que entopem nossas caixas de emails ou ouvimos aí pelas ruas.

Não sabemos qual a veracidade destas lendas, mas uma coisa nós sabemos que é verdade: o Brasil não soube e não sabe cuidar da Amazônia! As terras estão entregues ao "Deus dará", tudo se faz por lá, nada se respeita, não existe lei, não existe estado e nada se faz para mudar isso além de discursos muitas vezes cínicos de nossos (des)governantes.

É claro que existem exemplos que deram certo em meio à selva, como reservas extrativistas bem administradas e que preservam o meio-ambiente, ou mesmo o pólo tecnológico de Manaus, que gera renda e evita a destruição da floresta no Estado do Amazonas, por manter grande parte de sua população empregada na capital, e não em meio à floresta.

Mas ainda falta muito para ser feito, embora idéias não faltem. Agora não podemos recusar ajuda internacional para a Amazônia. O atual governo recusa-a veementemente, em nome de um falso patriotismo. Alegar que os países desenvolvidos é que precisam poluir menos, porque sempre poluíram a Terra. Esta é a alegação mais fora de propósito que já ouvi. É óbvio que eles precisam reduzir seus níveis de poluição. Mas não é porque eles não vão reduzir que nós aqui ficaremos de braços cruzados. Afinal de contas, o Brasil já é o quarto maior poluidor. E a maior parte desta poluição provém das queimadas justamente aonde?? Na Amazônia!! Então é hora de nos movermos para reverter este quadro extremamente danoso ao planeta!

Acredito que toda ajuda seja bem-vinda. Existem fundos disponíveis no planeta. Se entidades internacionais pudessem comprar áreas na Amazônia para serem preservadas e bem administradas, ÓTIMO! Mas aí chegam aqueles "defensores da soberania", dizendo que o território nacional está sendo entregue aos estrangeiros, etc. Bem, se nas mãos dos brasileiros este território não foi bem cuidado, o que pode ser pior? E por aí vai, financiamentos à reservas florestais, financiamento para replantio de espécies nativas, tudo com certificação e fiscalização.. sobram idéias, sobra também burocracia ("burrocracia") contra elas.

Da nossa parte, como "meros mortais", o que cada um pode fazer? O consumidor tem muito poder nas mãos e pode fazer muito também, não comprando produtos provenientes dos desmatamentos ilegais. Se não houver o consumidor, não haverá o traficante seja lá do que for! Pra quê construir sua casa ou comprar seus móveis com madeira (fora) da lei proveniente da Amazônia? Exija e compre madeira certificada ou plantada! É possível reverter a situação planetária mudando hábitos e sem abdicar de nosso conforto, porém impactando menos na natureza.

Continuaremos esta discussão ainda, mas já dá pra ir pensando à respeito!

4 comentários:

ZEPOVO disse...

Tem toda razão, o assunto é muiito delicado!

Nós não precisamos de ajuda para preservar o que é nosso, ao contrário podemos ensinar aos maiores poluidores e desmatadores como preservar as florestas, conservar a água e também podemos desenvolver projetos de reflorestamentos nos países onde as florestas nativas foram detonadas.
.
.
.
.
66,8% está bom??

GABRIEL BERTRAN disse...

Caro Zepovo,
Em primeiro lugar,muito obrigado por sua participação.
Eu realmente gostaria muito que o Brasil ensinasse a preservação a outros países,mas por enquanto infelizmente só ensinamos a destruir...
Acho que temos é a aprender.Com a Alemanha,por exemplo,que aumenta a cada dia a oferta de energias alternativas(eólica e solar),em um lugar que não tem nem metade do sol do Brasil e que também desabitou e reflorestou todas as margens de seus rios.De fato os "países ricos" destruíram muito,mas aprenderam com os erros,com pragas,pestes,falta de alimentos,etc. Será que nós aqui precisamos passar por isso?? Mas se passarmos,será para sempre,pois o Planeta não terá segunda chance..
Quanto a estes porcentuais de aprovação do lulla,não acredito neles.Primeiro porque as TVs e os institutos de pesquisa estão lenientes,porque parecem é comprados por este (des)governo.Segundo porque só pesquisam dentre os favorecidos pelo "bolsa-esmola". O governo atual nunca trabalhou, apenas colheu os frutos da boa administração econômica do governo anterior.
Na parte ambiental, que reconheço, já estava, infelizmente, ruim no governo anterior, piorou agora no atual... Neste quesito,nenhum se salva!

ZEPOVO disse...

Muito bem, vc é um "inimigo" do tipo que respeito, não tem medo do debate e sabe como lidar com ideias totalmente opostas.
Voltarei sempre.

GABRIEL BERTRAN disse...

Aí vai um vídeo bastante intrigante:

http://br.youtube.com/watch?v=QCXIY7JjJiA

Será verdade???