quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

AMBIENTALISMO NÃO É DE ESQUERDA!

Vivemos tempos equivocados, como todos sabemos. Alguns movimentos importantes que ocorrem mundo afora são confundidos entre si. É o caso do movimento ambientalista: muitas vezes ele é erroneamente confundido com o movimento esquerdista. De fato, muitos esquerdistas apropriam-se da causa ambiental para se auto-promoverem. Voilá, se suas intenções são boas, é até aceitável. Mas colocar ambos os movimentos em uma vala comum é um erro crasso.

Acredito que o ambientalismo, ou "ecologismo" ou o nome que quiserem dar a ele, está acima de regimes políticos. É uma questão de sobrevivência e também uma questão de cidadania. Deveria ser obrigatório em currículos escolares, televisões, rádios, jornais divulgar esta causa, pois quanto mais gente aderir a ela, melhor. De certa forma está sendo divulgado, principalmente na mídia impressa, o que é muito bom.

O ambientalismo foi surgindo, timidamente, nos anos 70, quando as conseqüências da expansão da atividade humana pelo planeta já eram bem visíveis. Rios mortos, cidades com ar irrespirável, florestas acabando.. Mas ainda havia um "desenvolvimentismo" no ar, que não deixava o movimento aparecer.

No Brasil, o movimento ganhou força na década de 80, após a redemocratização. Foi justamente nesta época que os partidos de esquerda, outrora proibido, ganhavam força. Tudo isso foi importante, sem dúvida, para a consolidação da democracia (que até hoje é capenga). Lembro-me muito bem o quanto ficava assustado, no início da década de 80, quando se falava de efeito estufa (hoje rebatizado de aquecimento global) e quando eram mostradas as pilhas de toras na Amazônia. Aquilo tudo me causava assombro e o papel da imprensa em divulgar esses fatos foi primordial. Pena que até hoje não temos uma política para a Amazônia e a destruição continua mais acelerada... mas ao menos uma consciência se formou.
Agora é errôneo afirmar que apenas o capitalismo destrói. Nos países comunistas verdadeiros desastres ambientais ocorreram, muitos sem termos sabido e que provavelmente ainda matam milhares de pessoas até os dias de hoje. O expansionismo industrial a qualquer custo ocorreu também na União Soviética, com fábricas muito mais poluidoras que a dos países capitalistas e sem controle nenhum. A ordem do dia era dizimar as florestas boreais do norte da Rússia, verdadeiras "Amazônias de pinheiros sem fim". Na China do ditador tão festejado pelas esquerdas do mundo todo, o Mao Tsé Tung (o qual matou muito mais gente que o Hitler e ainda é aclamado!), as florestas eram consideradas inimigas e verdadeiras operações de guerra para dizimá-las eram empreendidas. A indústria semi-capitalista chinesa até hoje não respeita nenhuma regra ambiental, de saúde ou trabalhista. E o mundo todo se gaba de comprar produtos vindos de lá. E os exemplos não páram, mas o que se conclui de tudo isso é que é da natureza humanda destruir. Por isso que, volto a dizer, o ambientalismo precisa estar acima de regimes políticos, pois quaisquer que sejam, a destruição sempre foi uma constante.

Aqui mesmo, em nosso Brasil, os revolucionários-comunistas dos movimentos de sem-terra são responsáveis pelo desmatamento de grandes áreas amazônicas. Vendem madeiras ilegalmente para madeireiros e abandona (ou vendem - o que não é permitido fazer) a terra que ganharam de presente do (des)governo! Isso mostras que capitalismo e comunismo estão exaurindo a Amazônia.

É preciso, sim, encontrar uma solução alternativa. A solução não pode fugir do mercado. Nada pode fugir dele, pois o capitalismo surgiu naturalmente, já o comunismo foi inventado por teóricos e provou não funcionar. Então, por quê não valorizar a floresta em pé, com seus recursos biológicos valiosíssimos, os quais com pesquisa e tecnologia trariam muita renda aos povos Amazônicos? Hoje vi um protesto ridículo de populações de cidades madeireiras, instigados pelos donos de serrarias a agredirem fiscais do IBAMA. Além de serem massa de manobra, mal sabem que a atividade madeireira predatória esgota-se tão logo a floresta acaba, e isso acontece em menos de uma década em certos municípios. Aí só resta pobreza, crime e destruição. Por quê não pensar em emprego para sempre para estas populações?? Até elas não enxergam isso. Destruindo a floresta desta forma estão dando "tiro no pé". É uma economia suicida.

Portanto a solução passa por criar e incentivar novos mercados, um novo capitalismo sustentável ecologicamente. Muitas empresas adotam estas práticas, até porque elas dão lucro!
Outro exemplo seria incentivar a industrialização e até a exportação do pinhão, fruto da quase extinta araucária angustifólia. A procura por pinhões incentivaria o plantio de araucárias e a preservação das que produzem-os. O fruto deveria valer mais que a madeira. Para tanto, é preciso agregar valor ao mesmo. Criar mercados. Assim previne-se a extinção.
E por aí vai. O ambientalismo precisa é ser mais capitalista, aliar-se ao capital. Natureza viva dá dinheiro! É só o Brasil acordar para isso e investir! Sem esperar por governos, que demoram muito. A iniciativa privada chega mais rápido!


6 comentários:

ZEPOVO disse...

Sou socialista, de esquerda, não aprovo destruição da Amazônia, mas exploração sim!

Derrubar floresta para plantar milho e soja é progresso. Formar pastos é comercialmente estratégico!

Ocorre que o mundo quer que nossas vantagens naturais na produção de alimentos sejam neutralizadas.

"Recursos biológicos valiosíssimos" não enchem barriga, tem valor para quem ? Para os laboratórios americanos???

Mande os americanos e canadenses praticarem o " capitalismo sustentável ecologicamente" nas suas vendas de madeira e carne...

A "natureza viva dá dinheiro" para os países altamente industrializados que agradecem os países que preservam a natureza, tornando-se competidores fracos...


Estas idéias de ecologia & afins que estou lhe passando é uma pequena parte do pensamento de esquerda, do qual não sou porta voz e muito menos tenho procuração para falar, mas é o resumo das idéias da turma com que convivo.

Talvez sirva para vc entender que pensamos diferente e queremos explorar a Amazônia não como loucos desvairados, mas como pessoas que sabem que uma imensa lavoura de soja é bem mais verde que muito serrado, produz riqueza e bem estar para os brasileiros...

O que a elite capitalista que dita as regras mundiais realmente quer é que nossas riquezas naturais fiquem enterradas e intocadas para neutralizar nossas naturais vantagens competitivas no mercado globalizado. E secretamnete sonham quando vão poder legalmente controlá-las, como a Vale ( uma empresa brasileira...hehehe.)faz em Carajás.

GABRIEL BERTRAN disse...

Este pensamento pobre de "elite capitalista" e de "disputa entre ricos e pobres" não me convence. Isso é pensamento tacanha de nossa esquerda atrasada, e o pt é o pior exemplo dela,portanto tudo o que vem desta "esquerda" não me convence.
Acho sim que devemos preservar, porque a BIODIVERSIDADE traz muito mais benefícios do que uma lavoura imensa e monolítica de soja.
Acho que colonialismo é ficar produzindo soja e carne, que são produtos sem valor agregado, para exportação. Isso sim é a exploração dos "pobres" pelos "capitalistas".
Dá para produzir soja e carne em áreas desmatadas mais ao Sul e deixar a maior parte da Amazônia intocada sim. E por quê não investimos em PESQUISA para que os LABORATÓRIOS BRASILEIROS (e não os americanos) PATENTEIEM produtos da floresta?? Isso o pt não faz, né? Portanto o interesse em deixar a Amazônia subdesenvolvida e nas mãos de criminosos (madeireiros e pecuaristas) COMO ESTÁ AGORA é do pt! Porque elles devem estar ganhando muito com isso!
Ajuda estrangeira sim, mas para desenvolver biotecnologia nacional! Isso rende muito mais dolares por hectare e o mundo agradece.
Esse outro pensamento tacanha-petista de que "se os países ricos poluíram a vida inteiro eu também vou poluir". É revoltante. É a mesma coisa que você dizer assim : "Já que meu vizinho sai matando pessoas pelas ruas, eu também posso fazer isso".
Está na hora de darmos o EXEMPLO. Mas com este (des)governo petista,apenas exemplos de corrupção, mensalão, gastos imensos com cartões de crédito corporativo é que vamos ter.
Você quer uma lixeira de R$ 900?? O pt compra pra você!

ZEPOVO disse...

Concordo com muito do que vc disse, não quero a Amazônia na mão madereiros e pecuaristas criminosos, e sim nas mãos de Empresas Agropecuárias.

Não é por que meu vizinho sai pelas ruas matando gente que eu vou poder fazer o mesmo; Mas jamais vou aceitar que ele venha querer me ensinar e me dar lição de moral dizendo o que devo ou não fazer...pelo simples fato de que ele justamente não tem moral para dar conselhos.

Blonde Angel disse...

OI Gabriel

Estou aqui para apoiá-lo, digamos, neste novo empreendimento, de muito interesse para todos nós, já que a maioria das pessoas não está nem aí, não somente com as árvores mas também com o lixo que todos os dias é jogado para a natureza, se não tomarmos logo uma atitude e educarmos a nossa própria geração, daqui alguns anos estaremos andando sobre o próprio lixo que criamos, e acima de tudo, não deixando herança alguma para nossos filhos além de devastação, falta de recursos ambientas e principalmente falta de comprometimento com o nosso planeta.
Estive em Ponta Grossa/ PR e é inconcebível saber que lá não há coleta seletiva de lixo...
O Planeta já está gritando por socorro e nós não podemos ficar assistindo sem fazer nada.
A preservação começa em casa, se cada um fizer a sua parte estaremos contribuindo para o nosso próprio bem.

Andréia

GABRIEL BERTRAN disse...

Andréia, muito obrigado por sua participação, você falou certíssimo: se cada um não fizer sua parte, estamos de fato condenados, pois o planeta "já passou do cheque especial".
Lembro-me quando ia sempre a Ponta Grossa, não tinham mesmo coleta seletiva, o que é um absurdo nos dias de hoje, e o pior, muita gente ainda "não está nem aí"...
A esperança são realmente as crianças, precisamos educá-las a conservar o mundo, mas principalmente, deixarmos "algum mundo" para elas viverem!
Abraço e obrigado pela participação!

ZEPOVO disse...

Olá Gabriel,
Fiz uma provocação para vc lá no meu blog, só porque gosto do assunto deste teu blog.
Se puder passe por lá...