domingo, 16 de março de 2008

SEM-TERRA: GRANDES DESMATADORES

É notória a preferência do governo atual pelos "movimentos sociais", os quais são incentivados e financiados com nossos recursos. Isso se deve à sinergia de pensamentos, que vem de longa data, do PT e seus comparsas com todos os tipos de "revolucionários", como FARC, MST, PCC e outras instituições voltadas à depredação da propriedade privada, à lavagem cerebral das grandes massas de manobra e a práticas ilícitas, tais como seqüestro e expropriação de bens e pessoas.

Dentre estes pseudo-movimentos "sociais", destaca-se o MST e seus assemelhados. A luta dos mesmos não é pela terra, e sim por um projeto político de longo prazo, aos moldes do que está sendo aplicado por Hugo Chávez na Venezuela, o qual visa a extinção da propriedade privada e das liberdades civis e de imprensa. O governo do PT simplesmente tolera do MST, não aplicando medidas legais cabíveis (até porque o MST não existe como figura jurídica), fazendo "vista grossa" aos absurdos que cometem Brasil afora.

Um destes absurdos do MST é a invasão da Floresta Amazônica, que se dá há décadas, até por deficiências na aplicação da "reforma agrária", que desde o governo de Fernando Henrique Cardoso, se faz erroneamente em meio a áreas florestais, por serem monetariamente mais "baratas" que outras (embora o MST também invada muitas fazendas ditas "produtivas"). Porém o barato para a farsa da "reforma" custa muito caro ao meio-ambiente : é preciso mudar o conceito de "terra produtiva". Na visão tanto de ruralistas quanto de sem-terra, áreas com matas nativas são "improdutivas", fazendo com que os ocupantes das mesmas (que na maior parte das vezes não são donos, em se tratando de Amazônia) ponham fogo e desmatem as mesmas o mais rápido possível. Aí inicia-se uma tragédia que já corrói 15% da Amazônia : a ocupação das mesmas pelos sem-terra.

Baseado nisso, coloca-se os sem-terra na vala comum do agronegócio, que eles tanto combatem : ambos desmatam, e muito, nossas florestas. Os sem-terra largados nos confins da hiléia amazônica fazem acordo com madeireiros "sem tora", os quais, com isso, não têm os custos da terra nem o ônus de suas regularização : simplesmente retiram o que querem de madeira dos assentamentos e vendem tudo ilegalmente. Os sem-terra recebem por isso e ficam com a terra arrasada para logo abandoná-la, porque quase nada pode ser plantado lá, iniciando novas invasões e o ciclo vicioso que acaba com a maior diversidade do planeta.

Agora o cinismo desses pseudo "movimentos sociais" é dizerem que praticam agricultura ambientalmente sustentável e preservam o meio-ambiente, em sua luta contra o agronegócio. É uma incoerência total : eles mesmos combatem o plantio de eucaliptos para produção de celulose no Sul e Sudeste do Brasil (plantio este que poupa milhares de árvores nativas) e ao mesmo tempo, os mesmos movimentos destróem a Amazônia! Eles destróem laboratórios de pesquisa, que trazem inovações na produção de madeira que auxiliam na preservação, mas eles mesmos não produzem nenhum conhecimento na área agrícola. Seus membros nem agricultores são, muito menos são pessoas necessitadas, pois vê-se carros novos estacionados em invasões, de moradores de áreas urbanas que servem como massa de manobra e estão lá para tentarem "conseguir uma terrinha", a qual vendem imediatamente, pois não têm o mínimo interesse e conhecimento para plantar.

Então, ao mesmo tempo que o agronegócio da soja e do gado destrói a Amazônia, pois nunca deveria ter chegado lá, os sem-terra praticam o mesmo tipo de crime. Por isso são dois lados de uma mesma moeda. Moeda esta que faz o Brasil e o mundo perderem cada dia mais.

Onde vamos parar com tudo isso?? Estamos sendo roubados por todos os lados!

6 comentários:

Carlos Roberto de Oliveira disse...

Parabéns, Gabriel! Seu blog está ótimo!

Sobre os SEM-TERRA, acrescente-se: parecer da Consultoria Jurídica do MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA aprovado pelo ministro LUIZ MARINHO garante cobertura previdenciária a invasores de terra que estejam trabalhando em área invadida, incluindo terras públicas, que poderão usar o tempo de atividade rural para se aposentar. Em outras palavras: legaliza-se o crime e ainda se paga o criminoso, com o dinheiro do contribuinte!!!

Abraços...

GABRIEL BERTRAN disse...

Caro Carlos, muito obrigado por sua visita ao blog e seu comentário, volte sempre!
Sua colaboração foi importantíssima, pois não conseguimos lembrar de todos os absurdos que este (des)governo promove "neççe paíz"...
De fato premia-se cada vez mais os bandidos, os terroristas. Por falar nisso, você viu a história do Orlando Lovecchio, que perdeu uma perna na explosão de uma bomba lançada por terroristas da VPR, se não me engano, nos anos 70? O terrorista responsável (filiado ao PT inclusive) conseguiu mais de R$ 400 mil de indenização (fora salário mensal), como "anistiado político". Já a vítima teve direito a apenas pouco mais de dois salários mínimos por mês e luta por uma indenização maior, pois teve sua vida dilacerada, uma carreira de aviador que não pode dar continuidade, etc.
E por aí vamos... com Chavez e Lulla defendendo os revolucionários das FARC, uma inversão total de valores...
Forte abraço, amigo, apareça sempre!!

Fusca disse...

Gabriel, ainda quanto à impunidade, sabemos que as quadrilhas que devastam nossa Amazônia, abastecendo madeireiras ou queimando tudo diretamente, ainda preparam terra para os novos fazendeiros como Lulinha, já denunciado anteriormente e abafado pela grande mídia. Sintomático é o fato de os assassinos da irmã Dorothy - único caso que ganhou notoriedade por ser internacional - já estarem em regime semi-aberto Graças às leis de Lula que protegem chefões do crime (lei 10.792 de 2003) e perpetradores de crimes hediondos (lei 11.464 de 2007), como é o caso. Os 'links' dessas leis estão no meu blog. Estamos de olho, e não estamos mais numa democracia.

GABRIEL BERTRAN disse...

Concordo plenamente, FUSCA, o lullinha é um dos grandes "players" no negócio do desmatamento, por isso o lulla é parte interessada em manter este sistema perverso ativo!
Por isso mesmo milícias já estão aumentando em Rondônia, pilhando terras e fornecendo árvores aos madeireiros (saiu na Istoé) e o pouco de reservas legais que é mantida por ALGUNS fazendeiros conscientes (que são raros) são invadidas por sem-terra e queimadas, pois para eles o "mato" é "terra improdutiva".
E assim vamos, enquanto a democracia se esvai..

GABRIEL BERTRAN disse...

Vejam a notícia que saiu hoje no jornal Gazeta do Povo. Segue abaixo um trecho e depois o link, sugiro lerem na íntegra:

ONG acusa Incra de participar de desmate

"Para esquentar ainda mais o debate a respeito do desmatamento da Amazônia, documento do Greenpeace acusa o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de trabalhar “em conluio” com os madeireiros para derrubar a floresta na região de Santarém, no Pará. O documento, de agosto do ano passado, chegou ao Palácio do Planalto e aos diversos ministérios envolvidos com a questão ambiental, como Agricultura, Desenvolvimento Agrário e Meio Ambiente."
Leia o resto aí no link. É um absurdo estes sem-terram destróem tudo!!

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=774043&tit=ONG-acusa-Incra-de-participar-de-desmate

GABRIEL BERTRAN disse...

Para constar: nova operação do Ibama e da Polícia Federal contataram desmatamento em área de assentamento de "sem-terra" , em Quedas do Iguaçú, Paraná.
Pra variar, quem perde são as araucárias, quase extintas..e todos nós..
Confiram a notícia:
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=948089&tit=Operacao-contra-desmate-ilegal-prende-15-pessoas